Metano na pecuária: estamos preparados para a pecuária sustentável?

Matéria originalmente publicada em Scot Consultoria em 02/06/2022 – Autoria de Rodrigo Silber

Os desafios que a humanidade deverá enfrentar nas próximas décadas estão diretamente ligados com as emissões de Gases de Efeito Estufa.

A pecuária é emissora de um desses gases, o metano, resultado da fermentação entérica no rúmen do bovino. Esse é um dos gases que contribuem para o aquecimento global, acompanhado do dióxido de carbono e do óxido nitroso.

O acúmulo desses gases na atmosfera forma uma espécie de “cobertor”, impedindo que as ondas eletromagnéticas, que aquecem o planeta, escapem, desregulando a temperatura.

O aumento na temperatura do globo terrestre gera mudanças, principalmente climáticas.

Indiretamente, essas mudanças podem causar impactos na pecuária, reduzindo a oferta de forragem e alimentos para os bovinos e aumentando o aparecimento de pragas e doenças, desestabilizando o ecossistema.

Mediante esse cenário, soluções que reduzam os impactos causados ao meio ambiente foram discutidas no Fórum Metano na Pecuária, que ocorreu em maio, em São Paulo.

A pecuária caminha nas soluções e inovações que mitiguem essas emissões. O conhecimento para mitigação da emissão de metano pela pecuária existe e a difusão é necessária para que não fique apenas em universidades e centros de pesquisas públicos ou privados.

Alguns dos pontos abordados para a redução da emissão de metano abordados no fórum foram:

•         Uso de resíduos da agricultura para alimentação bovina;

•         Tratamento de dejetos para produção de energia e matéria orgânica;

•         Incentivo por parte do governo brasileiro para produção sustentável;

•         Intensificação na produção;

•         Precocidade;

•         Aumento no peso médio de abate;

•         Sistemas de integração lavoura pecuária e lavoura pecuária floresta;

•         Uso de aditivos na alimentação animal.

O que precisa ser feito está sendo providenciado. São soluções benéficas para o meio ambiente e que permitem melhorar a rentabilidade econômica de quem produz.

A luz da oportunidade acendeu. Mais mercados exigem produtos sustentáveis e essa é uma ótima notícia para o Brasil, que tem a possibilidade de produzir com técnicas já testadas para o nosso ambiente.

A adoção de sistemas sustentáveis de produção permite fortalecer a competitividade da carne bovina no cenário internacional.